quinta-feira, 28 de julho de 2022

Leidenschaft Tour começa com o anuncio de 14 shows no México!

    Estamos entrando em turnê no México! Depois da nossa performance furiosa no WGT na Alemanha, trazemos as músicas do álbum atual, junto com muitas outras pérolas da nossa discografia, durante uma longa turnê pelo México no palco!


 

segunda-feira, 20 de junho de 2022

Entrevista: 2022 – Tilo – Terra Relicta por Tomaz

Entrevista com Tilo Wolff (Lacrimosa) para o site e revista online Terra Relicta, sobre o novo álbum Leidenschaft.
Data: 30/03/2022
Por: Tomaz

    Lacrimosa, uma das bandas mais influentes do gênero gótico/metal sinfônico/rock, e talvez o mais icônico também, lançou no ano passado seu 14º álbum “Leidenschaft” através de seu selo Hall Of Sermon.
    Trinta e um anos atrás, quando o Lacrimosa lançou seu álbum de estreia “Angst”, a cena gótica quase ficou chocada com sua onda sombria provocativa, frenética e quase perversa, mas profundamente emocional, minimalista, dirigida por sintetizadores/piano. Muitas coisas mudaram desde então, algumas também para a banda.
    O Lacrimosa foi uma das primeiras bandas que combinou o gênero Gótico com o Metal, inundado por orquestrações clássicas – se recordam de seu single inovador “Schakal”? Muitas bandas de Metal, assim como da Cena Gótica, seguiram seu exemplo. O Gothic e o Symphonic Metal tornaram-se estilos musicais estabelecidos até os dias de hoje.
    Liderado pelo genial compositor Tilo Wolff, acompanhado por Anne Nurmi, o Lacrimosa elaborou e melhorou sua proficiência musical, mantendo-se independente de qualquer grande gravadora desde o primeiro dia. Sua mais recente obra-prima, “Leidenschaft”, foi indicada pela revista digital Terra Relicta como o melhor álbum de Dark Music de 2021, e levou o título com uma enorme vantagem. O Lacrimosa consegue elevar o ouvinte para outro espaço e tempo em cada álbum, a cada música e a cada show ao vivo; é um mundo onde a paixão encontra a perfeição, a dor encontra a salvação, o preto encontra o branco e a escuridão encontra a luz orientada pelo amor. Agora, bem-vindos a entrevista com o fundador e mentor do Lacrimosa, Tilo Wolff!


Tomaz: Olá, Tilo e Anne, e obrigado por aceitar o pedido de entrevista. Embora o Lacrimosa esteja em nossas vidas desde o seu início, e a revista Terra Relicta Dark Music já comemorou o seu décimo aniversário em abril, não há entrevistas com o Lacrimosa para serem encontradas lá. Uma foi conduzida por mim em 2017, logo antes do lançamento do álbum Testimonium, embora nunca publicada porque nunca foi gravada em primeiro mão devido a problemas técnicos. Mas aqui estamos nós, comemorando o álbum seguinte ao Testimonium, Leidenschaft, lançado em 24 de dezembro. Antes de prosseguirmos com esta nova obra-prima, vamos nos deter primeiro com os números. O Lacrimosa comemorou seu 31º aniversário em novembro e, um mês depois, já lançou seu 14º álbum. A obra musical de Lacrimosa é incrível – em qualidade, quantidade e regularidade; ou seja, você entrega seu novo trabalho aproximadamente a cada dois anos, com apenas um longo hiato entre Lichtgestalt e Sehnsucht. Não são muitas as bandas que conseguem, então como você consegue?


Tilo Wolff: Tudo se resume ao fato de que a música é minha vida! Eu não poderia viver sem ela! Significa que não só escuto música, mas também tenho necessidade de fazer música. É como uma linguagem para mim, e não quero viver no silêncio! E estou tão fascinado com a ideia de ser criativo, de fazer algo do nada, pelo menos nada que salte aos olhos. E depois de tocar um pouco de violão ou me sentar no piano por um tempo, há músicas novas que vem ao mundo. Isso é maravilhoso! Eu nunca posso ser detido por este fascínio!


Tomaz: Procurei a tradução de “Leidenschaft”. O dicionário online descarta “emoção” como a primeira opção mas você utilizou “Paixão.” Bem, a paixão é uma emoção, embora bem específica. Mas por outro lado, não tão específico, já que se pode ser apaixonado por quase tudo. Como é para você o Leidenschaft?


Tilo Wolff: Sim, essa palavra dificilmente pode ser traduzida. “Paixão” é o mais próximo, mas ainda assim, na palavra alemã “Leidenschaft”, também está incluída a palavra “Leiden”, que significa “sofrimento”. A melhor descrição para Leidenschaft pode ser: estar em chamas, queimar por algo. É prazer e dor, a necessidade inquebrável de adentrar em algo e se perder nele. Ser extraditado e forçar essa extradição. Isso é “Leidenschaft”.


Tomaz: Alguma conexão com a data de lançamento (véspera de Natal)?

Tilo Wolff: Na verdade, o motivo desta data de lançamento foi que este álbum é algo muito especial para mim. Gravar este álbum foi uma jornada inacreditável, foi estressante, exaustiva, inebriante, edificante e às vezes devastadora, e houve momentos em que eu mal podia acreditar que eu seria capaz de terminar o álbum. Depois que foi concluído, fiquei tão agradecido e feliz que parecia ser o presente mais maravilhoso. Pois bem, e esta foi a ideia de lançá-lo no Natal: um presente para todos os amantes do Lacrimosa!


Tomaz: Leidenschaft é um dos álbuns mais versáteis do Lacrimosa, mas há algum tipo de dualismo dentro de cada música. Como você vê isso como compositor?


Tilo Wolff: Sim, cada álbum é sempre um reflexo do estado pessoal da época em que foram criados. Já que minhas músicas dependem do que está acontecendo dentro de mim, elas têm essa conexão natural umas com as outras por um lado, e por outro, elas dependem do tópico de seu próprio núcleo interior. Isso faz esse dualismo que você está falando. A razão para isso também pode ser que não há compositor adicional, nenhum produtor externo ou qualquer pessoa que influencie na composição e produção das músicas. Isso as torna puras.


Tomaz: Chega ser injusto comparar qualquer álbum do Lacrimosa, já que cada um é diferente. O mesmo acontece com os dois últimos, Testimonium e Leidenschaft. Enquanto o Testimonium foi mais bombástico, Leidenschaft é mais emocional. Por favor, diga-me onde você vê as principais diferenças?


Tilo Wolff: Sim, o Testimonium é muito bombástico, parcialmente com um tom de ira e sem esperança, como as músicas “Weltenbrand” ou “Testimonium”, enquanto o Leidenschaft é, com exceção de “Kulturasche”, um pouco mais equilibrada e elegante, mas também complexa em seus detalhes. Nota-se isso muito bem ao comparar as duas músicas sobre a tempestade “Nach dem Sturm” do anterior e “Führ mich nochmal in den Sturm” do novo álbum.


Tomaz: Certamente é um pouco menos sinfônico e mais um álbum orquestral em termos de como os instrumentos clássicos são usados. Isso não é algo novo para o Lacrimosa, pois algo parecido já foi ouvido no álbum Echos, mesmo de forma diferente. Então, quando você está no processo de composição, o quanto você considera seus álbuns anteriores?


Tilo Wolff: Não os considero nem um pouco, porque o passado é o passado e eu não quero caminhar para o futuro olhando para trás. Eu construo sob o passado, os álbuns anteriores, mas apenas no sentido de tê-los em meu coração como um tesouro que ninguém pode tirar de mim.


Tomaz: A capa do álbum é mais uma vez impressionante. Acredito que há uma mensagem por trás dela que eu não consigo decifrar sozinho.


Tilo Wolff: Como você pode ver, há duas figuras esculpidas em pedra, e nós não podemos ver quem está de frente para a mulher, se é uma criança, um homem zangado, apaixonado, indefeso ou com raiva. E temos o céu e suas nuvens, escondendo o sol e ainda dando espaço para os raios de sol, e claro, temos o arlequim na parte de trás do álbum na pose exata de ser visto na capa do primeiro álbum, fazendo uma espécie de publicidade para um circo onde ele se sente em casa, em seu ambiente original. Nenhum deles está vivo; todos são apenas imagens de pessoas reais e, no entanto, estão todos contando uma história e se comunicando uns com os outros ou conosco diretamente, como faz o arlequim.


Tomaz: O primeiro single/vídeo revelado do álbum foi “Raubtier”. Você fez um vídeo incrível e significativo, e voltamos ao tema do dualismo. Você acha que essa música é a que melhor representa o álbum? E quem fez a cenografia e coreografia para o vídeo? Podemos esperar mais vídeos oficiais deste álbum?


Tilo Wolff: Na verdade, eu não acho que essa música represente melhor o álbum – embora eu ame essa música – mas eu tive essa ideia da história que é uma interpretação engraçada e confusa da letra, que conta uma espécie de história real. A combinação de diferentes personagens interpretados pela mesma pessoa faz com que esse vídeo funcione, caso contrário, algumas cenas teriam sido muito focadas, mesmo que algumas pessoas estejam com raiva de mim, o que eu acho meio engraçado porque eu ataco a Anne Nurmi com o personagem Lacristóbal. (risos) E sim, se tivermos tempo, podemos fazer outro vídeo para o álbum mas no momento, infelizmente estou ocupado com a distribuição e toda a administração em torno deste lançamento, então vamos ver…


Tomaz: Uma das emoções mais fortes que este álbum oferece é a nostalgia. É sentida em muitas músicas, principalmente em “Führ mich nochmal in den Sturm”, “Die Antwort ist Schweigen” e “Celebrate The Darkness”. Foi intencional ou apenas veio a ser assim?


Tilo Wolff: Simplesmente veio a ser assim. Quando se trata de compor, eu confio no meu coração e não na minha mente, então, coisas assim acontecem e eu gosto assim!


Tomaz: Para a música “Celebrate The Darkness”, você fez um lindo lyric video, que, se não me engano, é seu primeiro lyric video oficial. Como é que só agora você quis produzir esse tipo de vídeo, que já é muito popular há algum tempo?


Tilo Wolff: Eu não assisto muitos lyric videos porque acho a maioria deles – desculpe – um pouco chatos. Mas aqui tivemos essa ideia que contou sua pequena história ao apresentar uma bela atmosfera para poder representar essa música de forma visual.


Tomaz: A produção do álbum é um pouco diferente. Conte-me mais sobre o processo de gravação, e qual foi o principal objetivo a ser alcançado com a sonoridade deste álbum? Volta e meia, especialmente quando se trata de solos de guitarras, você quis soar mais “hard rock” de certa forma?


Tilo Wolff: Bem, não hard rock já que não penso muito nessas categorias, mas eu queria ter esse toque aveludado e reconfortante, entrecortado por aço frio e emoldurado por madeira sólida e escura. Claro que gravar durante essa pandemia às vezes foi um grande desafio, e muitas gravações tiveram que ser adiadas, razão pela qual este álbum não saiu em 2020, que era a ideia original, mas estou muito feliz que a produção saiu como eu queria afinal.


Tomaz: O ano de 2021 marcou 30 anos desde o lançamento do seu álbum de estreia “Angst”. Eu esperava que haveria alguma comemoração ou algo sobre ele. E como você vê agora esse álbum?


Tilo Wolff: Não sou um grande fã dessas ideias de “revival”. A ideia por trás dessas coisas é de algo clássico da indústria da música. Eles pensam em como ganhar mais dinheiro com algo que já existe. E então eles escolhem um álbum de sucesso e dizem: vamos comemorar! Não tenho motivação nem tempo para fazer uma porcaria dessas. Vamos lá, todos os álbuns existem, e quem quiser comemorar um álbum é livre para fazê-lo. Eu não preciso de uma gravadora ou dos artistas para me dizer qual álbum comemorar. Quero fazer música nova, o que leva tempo e esforço, portanto, concentro-me no futuro e não no passado! E sobre como eu vejo este álbum, bem, é o pilar fundamental do Lacrimosa. Sou feliz por este álbum todos os dias, e eu amo cada parte dele! Então, eu celebro esse álbum, na verdade, todos os dias!


Tomaz: Não vou perguntar onde você se vê com o Lacrimosa daqui 30 anos, mas ainda assim, quais são seus planos para os próximos, digamos, dez anos ou mais?


Tilo Wolff: Não faço planos de longo prazo. Eu sou velho e sábio o suficiente para não fazer isso. Veja o exemplo da pandemia e agora a guerra. As coisas mudam. Não quero me limitar a nenhum plano e expectativa que tire a liberdade de viver no mundo que se estende à minha frente a cada novo dia!


Tomaz: O Lacrimosa é um exemplo perfeito de que a banda pode ser independente, desde o início e ainda assim alcançar o status de cult. Todos os seus lançamentos foram pela sua gravadora Hall Of Sermon, o que é algo raro. Você já recebeu uma proposta que fez você pensar duas vezes?


Tilo Wolff: Sim, muitas vezes. Sempre quis ser músico, mas, na verdade, estou no escritório 90% do meu tempo. Às vezes eu não encontro tempo para fazer música por várias semanas, o que é algo que eu odeio. Por isso sempre esperei encontrar uma gravadora disposta a trabalhar com o meu jeito de lidar com o Lacrimosa, mas essa gravadora parece não existir. Portanto, recusei todas as ofertas até agora.


Tomaz: Nestes tempos de pandemia da COVID-19, quase todos os artistas/músicos enfrentaram um momento difícil. Como você continua seguindo em frente nesse sentido? Acredito que você deva ter muitos shows e turnês canceladas ou adiadas também, não?


Tilo Wolff: Sim, todos os nossos planos de turnê tiveram que ser cancelados, e estamos tentando o nosso melhor para manter nossas cabeças acima da água, também em termos do novo fluxo de trabalho. Hoje em dia, você precisa de três abordagens diferentes para alcançar um objetivo. Não é tão engraçado, mas não só nós, músicos, temos tempos difíceis, o mundo inteiro está sofrendo e sofrerá por muito tempo!


Tomaz: E para o futuro, quando as turnês voltarem a ser possíveis, você já fez algum plano e reservou alguma coisa?


Tilo Wolff: Estamos constantemente trabalhando nisso, apenas para cancelar tudo, repetidamente. Sinceramente não sei até quando vou continuar com isso. Acho que, no futuro, não haverá mais tantos shows do Lacrimosa.


Tomaz: De volta ao Leidenschaft. O álbum é uma verdadeira obra-prima e é perfeito em todos os aspectos. Já se passaram semanas desde seu lançamento, e eu me pergunto, que tipo de resposta você recebeu de seus fãs e da mídia?

Tilo Wolff: Felizmente praticamente igual a sua. As pessoas parecem amar o álbum, e estou muito feliz com isso porque ele significa o mundo para mim!


Tomaz: Tenho certeza que o álbum estará em muitas paradas nas primeiras posições. E já é o vencedor do Terra Relicta Dark Music Awards 2021. Eu me pergunto o quanto essas coisas significam para você?


Tilo Wolff: As paradas musicais não significam tanto para mim, razão pela qual não vendemos o novo álbum através de sistemas de contagem de paradas. Como essas não são mais sobre vendas, mas sim sobre orçamentos de publicidade na TV, rádio e streaming online, isso não reflete mais a ideia das paradas originais. Acho que elas deveriam refletir a escolha do público e não o orçamento da gravadora!


Tomaz: Em 2020, sua outra banda, SnakeSkin, lançou um álbum incrível – Medusa’s Spell – vencedor ano passado do Terra Relicta Dark Music Awards. Você já está fazendo algo novo para o SnakeSkin?


Tilo Wolff: Comecei mas ainda não encontrei tempo para continuar, mas a história vai continuar!


Tomaz: Muito obrigado por dedicar seu tempo para responder a essas perguntas. Espero que você tenha se divertido. E como você gostaria de finalizar? Alguma mensagem que gostaria de deixar para nossos leitores e seus fãs?


Tilo Wolff: Na verdade, estamos falando agora sobre alguns shows na Alemanha e na Bélgica este ano, mas ainda não posso dizer se isso acontecerá. Mas se sim, seria ótimo ver alguns de vocês novamente, olhá-los nos olhos e compartilhar a música e as emoções com vocês. Eu adoraria!


segunda-feira, 6 de junho de 2022

Lacrimosa WGT 2022 - Confira Fotos, Vídeo e Possível Setlist:

Ontem tivemos a primeira apresentação com as músicas do novo álbum Leidenschaft lançado em 2021, algumas fotos já circulam nas redes e também as músicas do provável Setlist:








 Fotos: TiAn Lacrimosa Talks

Alguns vídeos da apresentação também já podem conferidos, ANNE ESTA MARAVILHOSA!


Intro + Liebe Über Leben:


 Komet:


 Kelch der Liebe:


Nach dem Sturm:
 

 


quarta-feira, 18 de maio de 2022

Curiosidades com Rodrigo Santromipo.

Uma foto datada de 1993, época do qual ela ainda fazia parte da banda de Dark Rock/Darkwave finlandesa Two Witches.

Na foto a Anne aparenta uma certa concentração, sem nem mesmo olhar para a câmera.

 

Mas algo mais além da Anne nesta foto chama muito minha atenção, que neste caso é a paisagem ao seu redor, principalmente a escultura feita de bronze do qual ela repousa. E por isso resolvi trazer algumas informações sobre ela em particular. :)

A escultura se chama Leon de San Marco, ou se preferir, Leão Alado de Veneza. É um trabalho realizado por Luigi Borro, escultor e pintor italiano nascido em 29 de Julho de 1826 e morto em 06 de janeiro de 1880.
 

O Leão Alado é uma representação simbólica do evangelista São Marcos, eleito segundo patrono da cidade de Veneza, substituindo seu antecessor, São Teodoro, que pertencia ao período do domínio bizantino.

Acima do Leão Alado, fora do alcance da foto da Anne, também tem mais outra obra de Borro que vale muito apena ser destacada, sendo ela uma escultura em homenagem à Daniele Manin (nascido em 29 de julho de 1826, morto em 6 de janeiro de 1886) que fora um importante advogado, político e patriota italiano.

As esculturas ficam localizadas bem na praça do Campo Manin, em Veneza, capital da região de Vêneto, ao norte da Itália.

segunda-feira, 9 de maio de 2022

Ativem os lembretes: Snakeskin está de volta!

    As emoções despertadas por esta guerra catastrófica na Ucrânia me forçaram a escrever uma nova composição. No dia 12 de maio às 13h esta nova música, que gravei com Kerstin Doelle e nossa Session Orchestra for Snakeskin, estará disponível pela primeira vez em:

Tilo Wolff.

quarta-feira, 2 de março de 2022

Augenschein (Ilusão)

 

Lágrimas no silêncio
E máscaras no rosto
Ausência e distância
Separados daqueles que amamos
Vamos te proteger disso para assim te proteger
Do que pode viver em nós
Uma questão de solidariedade
Uma questão nossa.

Nenhuma máscara pode proteger
Contra o que está na mente
Raiva e medo e alguma ilusão,
Na batalha da comunicação
Violência verbal confusa,
Todos contra todos
Uma questão de uma bússola interior,
Questão nenhuma, na verdade

Um olho risonho – choroso
E um coração tão pesado de amor e sofrimento
É assim que vivemos

Nós somos tão modernos - somos tão novos
Somos simplesmente melhores
Do que todas as muitas pessoas estúpidas
Que viveram aqui antes de nós
Nem tudo o que é novo nos faz bem
Nem tudo é progresso
Decreto de fala - ditado moral
Visão de mundo semelhante a um padrão
Os pensamentos - não são mais livres
Não há mais imaginação e não há mais paixão.

Um olho risonho – choroso
E um coração tão pesado de amor e sofrimento
É assim que vivemos.
É assim que vivemos nossa vida.

Celebrate The Darkness (Celebrar A Escuridão)

 

Minhas lágrimas amargas
Escorrendo pelo meu rosto,
Quem é você para chamar meu nome?
Tudo que eu sempre quis de você foi amor,
Tudo que eu sempre tive foi dor
E lágrimas e tristeza.

Eu vim aqui para celebrar a dor,
Venha - venha comigo,
Celebre a dor comigo.

Nós celebramos as lágrimas que choramos
Nós celebramos a escuridão

Minhas lágrimas amargas,
Lágrimas tristes e amargas
Flutuando pelo meu rosto,
Caindo ao chão,
Minhas amargas – amargas lágrimas.
É tudo o que resta em mim,
Eu vou desaparecer quando não puder mais chorar...

Eu vim aqui para celebrar a dor,
Venha - venha comigo
Celebre a dor comigo.

Nós celebramos as lágrimas que choramos
Nós celebramos a escuridão.