segunda-feira, 8 de abril de 2019

Fotos do "Zeitreise", novo álbum do LACRIMOSA!






Lacrimosa no Fabrique, uma viagem ao passado, presente e futuro.

Já é a sétima vez que o “Lacrimosa” passa por terras brasileiras, dessa vez com a Time Travel World Tour, criada apenas com um objetivo: Comemorar 30 anos de existência da banda de “Tilo Wolff”. Por volta das 18 horas, horário previsto para a abertura da casa, um número considerável de pessoas já aguarda na fila em frente ao Fabrique Club, local escolhido para a apresentação.

Com a pontualidade européia de sempre, o “Lacrimosa” subiu ao palco para um ótimo público no Fabrique, que estavam dispostos a ouvir os Grandes Clássicos e Hits que a turnê prometia. E realmente não foi diferente.



O Show dessa vez não começou com a clássica “Lacrimosa Theme” do álbum “Inferno” mas sim com um Trailer que mostrava um  resumo de toda a trajetória da banda até os dias de hoje, e confesso que o vídeo causou mais expectativa ainda do que iria vir naquela noite.

Finalmente se ouve as primeiras notas de “Lacrimosa Theme” para delírio dos fãs presentes e é claro de seu Fã Clube, os “Lacrimaniacos”, que estavam preparando grandes surpresas para a banda, começando com bexigas iluminadas para a recepção da banda.

Um a um, os integrantes foram entrando, Jay P (Guitarra), Henrik Flyman (Guitarra), Yenz Leonhardt (Baixo) e Julien Schmidt (Bateria) foram os primeiros a entrar pelo palco, saudados pela platéia. Não demorou para Anne Nurmi também adentrar o palco causando suspiros dos presentes, que mulher incrível, e com isso as primeiras notas de “Ich bin der brennende Komet” do Single “Stolzes Herz” fizesse com que o Fabrique se agitasse, a voz de Tilo Wolff ecoava pelo local, e pouco depois sua figura tomou seu lugar no palco, dando início ao grande concerto daquela noite. “Lichtgestalt” que leve o nome do álbum de 2005, foi logo emendada depois de um agradecimento em português ao Fã Clube Lacrimaniacos por ter contribuído para que esse show acontecesse. Eufórica, a platéia escutou “Nach dem Sturm” do Testimonium, sendo executada com a ajuda de Tilo nas Guitarras, música forte de interpretação marcante.



Depois disso, tivemos uma seqüência de clássicos: “Schakal” do Inferno, “Not Every Pain Hurts” do Stille, com a primeira vez que Anne Nurmi assumi os vocais, tendo uma interpretação magnífica, “Der Morgen danach” do Fassade e “Alleine ZuZweit” do Elodia, fecharam essa parte de clássicos.

Agora vamos falar da parte que mais chamou a atenção e agradou, e muito, a maioria dos fãs ali presentes, os primeiro acordes fora ouvidos de “Satura” canção do álbum de mesmo nome, de 1993, a muito tempo não executada, e é nessa parte que entendemos a idéia do “Lacrimosa” em viajar no tempo com os seus fãs nessa turnê. Tilo ainda convida a voltar mais ainda no tempo, precisamente em 1992, onde apenas ele e Anne Nurmi ficam no palco, relembrando os shows clássicos mais antigos, e para a grande surpresa do público, Tilo Wolff nos presenteia com “Bresso”, canção do álbum “Einsamkeit” recebida com uma emoção que é impossível descrever nessa resenha. Mais uma grada surpresa do passado veio após, “Seele In Not”, uma das primeiras músicas da história do “Lacrimosa”, foi executada para a nostalgia dos presentes, sem dúvidas, nesse momento do show, já valia muito estar ali.



Voltando a história mais recente do “Lacrimosa”, tivemos “Die unbekannte Farbe” do Hoffnung, “My Pain” novamente do Testimonium e “Keine Schatten mehr” uma das canções preferidas de Tilo Wolff, que aparece no Hoffnung, com dois tipos de versão, uma Single e outra mais longa. “Stolzes Herz” do Stille foi sem dúvidas um dos momentos mais lindos do show, enquanto Tilo cantava a introdução de olhos fechados, os fãs prepararam seus balões em formas de coração e LED, Finalizando a primeira parte do show com mais uma volta ao passado com “Ich verlasse heut' dein Herz” que mostrou o quanto os instrumentistas da banda são bons no que fazem, com um Solo perfeito do início ao fim.

No primeiro Encore, Tilo convida os fãs a pensarem no futuro do “Lacrimosa” apresentando a nova “Im Schatten der Sonne” uma das novas faixas presentes em “Zeitreise”, lançado em março desse ano. Mostrando que o a genialidade nas composições, continua intacta nesses 30 anos.

Continuando no Presente, Tilo emenda “Thunder and Lightning” novamente do Hoffnung, “Feuer” do Sehnsucht e “Irgendein Arsch Ist Immer Unterwegs” do Revolution, onde Tilo interage grandiosamente com a platéia.

Novamente a banda sai de cena, e depois de alguns minutos, depois de uma “graça” feita por Tilo Wolff, aparecendo sozinho de surpresa, a banda retorna para uma das músicas mais esperadas da noite: “Copycat”, Tilo diz que em alguns países, a música não é tão querida, mas ele sabe que no Brasil, isso é diferente. E realmente é, uma explosão tomou contado Fabrique em cada trecho executado, e depois de muita agitação o final do show chegou com “Alles Lüge”.

Ah, mas antes de falar o quanto esse show foi incrível, ainda tivemos um “sumiço” de Tilo do palco, para aparecer segundos depois ao lado da platéia, cumprimentando um a um seus fãs que ali estavam mais próximos ao palco.



Realmente após o final entendemos a proposta de Tilo, de trazer o passado, o presente e o futuro do “Lacrimosa” em 21 músicas  em uma mesma noite, e podemos dizer que eles conseguiram.

Setlist

Lacrimosa Theme (Intro)

Ich bin der brennende Komet

Lichtgestalt

Nach dem Sturm

Schakal

Not Every Pain Hurts

Der Morgen danach

Alleine zu zweit

Satura

Bresso

Seele in Not

Die unbekannte Farbe

My Pain

Keine Schatten mehr

Stolzes Herz

Ich verlasse heut' dein Herz

Encore:
Im Schatten Der Sonne

Thunder and Lightning

Feuer

Irgendein Arsch Ist Immer Unterwegs

Encore 2:
Copycat

Alles Lüge


Lacrimosa no Brasil: Fotos da Apresentação de São Paulo